ROBERTO EDUARDO DE ARUANDA

ROBERTO EDUARDO DE ARUANDA

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

FORÇAS ELEMENTAIS OU ESPÍRITOS DA NATUREZA

O binômio macrocosmos/microcosmos significa a relação que existe entre o Universo e o Homem, considerado como medida de todas as coisas. Este antropocentrismo, base da Astrologia, da Alquimia, e dos numerosos sistemas metafísicos, foi aceito durante milênios. Significava a cosmovisão na qual o ser humano era considerado a síntese perfeita e completa de tudo que existe no universo. A partir dessa concepção floresceram muitas doutrinas que consideravam o surgimento da vida e do Homem a finalidade verdadeira da criação e que atribuía à evolução um sentido maior.
O Panteísmo é, em certo sentido, uma concepção moderna dessa doutrina. Para o panteísta, Deus está presente em todos os seres e coisas, sendo, pois, Ele e a natureza uma coisa só. O mais conhecido sistema panteísta da Filosofia é o de Espinosa (1632-1677), embora a doutrina panteísta tenha florescido mais recentemente na obra de Emerson (1803-1882).

Embora rejeitada pelo racionalismo filosófico, a Ciência moderna nos surpreende, convergindo exatamente nessa direção. Segundo tal visão revolucionária, o mundo não é absurdo consoante afirmava Sartre (1905-1980) e, tampouco, o homem surgiu nele por acaso, mas o universo, desde o início dos tempos, parece ter conspirado para o aparecimento da vida e do Homem.

Paracelsus Para se dar conta de que a Terra, o Mar, o Ar e o Fogo estão cheios de coisas vivas basta olhar para eles. Mas são poucos os pensadores que se atreveram a fazer distinções objetivas entre o Homem e a natureza, entre o mundo visível e invisível. A Humanidade deve a Paracelso (1493-1541), notável médico e cientista, a mais completa e lúcida exposição sobre esse ramo da Filosofia que lida com as substâncias espirituais. Paracelso, cujo nome completo era Philippus Aureolus Paracelsus von Hohenheim, é considerado, com todo o direito e honra, como o promotor da grande revolução científica do Renascimento, pespegando, por isso, o epíteto de "Lutero da Medicina".

A idéia de que a Terra, o Mar e o Ar são habitados por seres invisíveis e inteligentes pode parecer ridícula à mente prosaica de nossos dias. Essa doutrina, entretanto, encontra a adesão de muitos cientistas e filósofos, dentre os quais, Paracelso foi o primeiro. Do mesmo modo que a natureza visível é habitada por um número infinito de criaturas viventes, assim também, segundo ele, a contraparte invisível da natureza é povoada por uma hoste infinita de seres.
Em seu livro "Philosophi Occulta" (em latim), Paracelso acrescenta que, enquanto o Homem é composto de várias naturezas (espírito, alma, mente, corpo) combinadas em uma unidade, o Elemental ou Espírito da Natureza não tem senão um princípio, que é o éter de que se compõe e no qual vive.

O leitor deve ter em mente de que quando se fala em éter o que se designa é a essência espiritual de um dos quatro elementos. Existem tantos éteres quantos elementos e tantas famílias distintas de espíritos da natureza quantos éteres existem. Essas famílias estão completamente isoladas dentro de seu próprio éter e não tem contato com os seres dos outros éteres. Mas como o Homem tem dentro de sua própria natureza centros de uma consciência sensitivos aos impulsos de todos os quatro elementos, é possível para qualquer dos elementos comunicar-se com ele sob condições apropriadas. Isso significa que cada espécie move-se apenas no elemento ao qual pertence e nenhum passa de seu meio-ambiente para outro. A Igreja reuniu todas essa entidades elementais sob o nome geral de demônios.

A palavra demônio nem sempre teve o sentido que os cristãos lhe atribuem. Foi a Igreja que satanizou esse termo, identificando-o com o espírito do mal. Os gregos chamavam daemon (demônio) a alguns elementais, especialmente os de ordem elevada. O mais famoso desses daemons foi o misterioso espírito que instruiu Sócrates e do qual o grande filósofo falava nos termos mais elevados.

Muitos dos grandes pensadores tiveram a assistência de uma entidade que pode ser considerada como elemental. Jakob Böhme (1575-1624) dizia-se inspirado por um "anjo", o mesmo ocorrendo com Helena Petrovna Blavatsky (1831-1891), fundadora da Sociedade Teosófica.
Paracelso afirma que os elementais não são meramente espíritos, porque dispõe de um corpo sutil e material que, na doutrina teosófica é denominada de astral, capaz de, em determinadas circunstâncias, manifestar-se no plano físico. Em certas situações, tais entidades podem agir sobre o ser humano, quando este lhes dá espaços em sua mente. O Conde de Gabalis procurou demonstrar, com exemplo, a união de um ser humano com um elemental. Entre os filhos de tais uniões, ele assinala Hércules, Aquiles, Enéias, Teseu, Platão, Alexandre Magno e Apolônio de Tiana.

A Filosofia de Paracelso recebeu a influência do naturalismo renascentista, tendo tido um papel decisivo na progressiva evolução da magia naturalista para a ciência experimental. Em seu tempo foi ele aquela poderosa tempestade que separava ou reunia tudo o que, até então, ninguém tivera a coragem de tocar. Vemos em Paracelso o precursor da Química, além da Psicologia empírica. Durante toda a sua vida lutou pelos seus grandes projetos de reforma das artes médicas. Em virtude de seus grandes conhecimentos herméticos foi considerado por muitas autoridades de seu tempo como membro ou mesmo como mentor da misteriosa Fraternidade Rosacruz.

A partir das teorias dos cientistas aqui citados, poderíamos considerar esses espíritos da natureza como uma espécie de humanidade, se não fosse o fato de nenhum deles nem os mais elevados possuírem uma individualidade permanente que se reencarne. É por isso mesmo, e pelo fato de terem um éter apenas, podemos afirmar que a evolução humana é diferente dos espíritos da natureza. Mas sejam quais forem as etapas dessa evolução, pouco ou nada sabemos a respeito dela.

Tratamos até aqui dos quatro elementos ou espíritos da natureza, comentando as obras de autores antigos e modernos, em especial as de Paracelso. Gostaríamos, agora, ao concluir, examinar sucintamente o problema dos quatro elementos tal como é visto pela Maçonaria.
A Ciência moderna abandonou, desde Lavoisier (1743-1794), a teoria dos Quatro Elementos, mas essa tomada de posição, embora plenamente válida sob o ponto de vista científico, não pode servir de argumento refutativo à teoria hermética, de vez que esta não é uma Física, mas uma Metafísica.

A "purificação" pelos "quatro elementos", próprio do Rito Escocês Antigo e Aceito é essencialmente de natureza hermética. Quem quiser compreender realmente a iniciação maçônica em qualquer grau, deve ter em mente que esses "Elementos" não são, de modo algum, os corpos da Física e da Química, traduzidos pelos termos de Terra, Água, Ar e Fogo, mas abstrações que devem ser consideradas princípios de vida.

Estes são, se formos ao fundo das coisas, as verdadeiras realidades do universo, a partir das quais as aparências sensíveis e tangíveis tomam forma. É a sua ação quádrupla e combinada sobre o Homem que transforma o aspirante em iniciado, preparando-o para a iluminação final.


Referência Bibliográfica


1) Revista Planeta, nº.56, artigo de Lívio Vinardi: Os Elementais da Natureza e suas Relações com a Alquimia e a Yoga;
2) Mackey, A. Gallatin. In: Enciclopédia de Ia Francomasoneria, 1981;
3) ABRINES, Lorenzo Frau. In: Dicionário Enciclopédico de Ia Masoneria, 1976, Vol. l, pág. 478;
4) Hall, Manly Palmer. Masonic, Hermetic, Cabalistic and Rosacrucian Simbolical Philosophy.

Medicina reconhece obsessão espiritual


Código Internacional de Doenças (OMS) inclui influência dos espíritos.
Medicina reconhece obsessão espiritual.
Por Dr. Sérgio Felipe de Oliveira


 A obsessão_espiritual como doença_da_alma, já é reconhecida pela Medicina. Em artigos anteriores, escrevi que a obsessão espiritual, na qualidade de doença da alma, ainda não era catalogada nos compêndios da Medicina, por esta se estruturar numa visão cartesiana, puramente organicista do Ser e, com isso, não levava em consideração a existência da alma, do espírito.
        No entanto, quero retificar, atualizar os leitores de meus artigos com essa informação, pois desde 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social. Antes, a OMS definia saúde como o estado de completo bem-estar biológico, psicológico e social do indivíduo e desconsiderava o bem estar espiritual, isto é, o sofrimento da alma; tinha, portanto, uma visão reducionista, organicista da natureza humana, não a vendo em sua totalidade: mente, corpo e espírito.
        Mas, após a data mencionada acima, ela passou a definir saúde como o estado de completo bem-estar do ser humano integral: Fisiológico, psicológico e espiritual.
        Desta forma, a obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na Medicina como possessão e estado_de_transe, que é um item do CID - Código Internacional de Doenças - que permite o diagnóstico da interferência espiritual Obsessora.
        O CID 10, item F.44.3 - define estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio ambiente, fazendo a distinção entre os normais, ou seja, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença.
        Os casos, por exemplo, em que a pessoa entra em transe durante os cultos religiosos e sessões mediúnicas não são considerados doença.


        Neste aspecto, a 
alucinação é um sintoma que pode surgir tanto nos transtornos mentais psiquiátricos - nesse caso, seria uma doença, um transtorno dissociativo psicótico ou o que popularmente se chama de loucura bem como na interferência de um ser desencarnado, a Obsessão espiritual.
        Portanto, a Psiquiatria já faz a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios.
        O manual de estatística de desordens mentais da Associação Americana de Psiquiatria - DSM IV - alerta que o médico deve tomar cuidado para não diagnosticar de forma equivocada como alucinação ou 
psicose, casos de pessoas de determinadas comunidades religiosas que dizem ver ou ouvir espíritos de pessoas mortas, porque isso pode não significar uma alucinação ou loucura.
        Na Faculdade de Medicina DA USP, o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico, que coordena a cadeira (HOJE OBRIGATÓRIA) de Medicina e Espiritualidade.
        Na Psicologia, Carl Gustav Jung, discípulo de Freud, estudou o caso de uma médium que recebia espíritos por incorporação nas sessões espíritas.
        Na prática, embora o Código Internacional de Doenças (CID) seja conhecido no mundo todo, lamentavelmente o que se percebe ainda é muitos médicos rotularem todas as pessoas que dizem ouvir vozes ou ver espíritos como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas.
        Em minha prática clínica (também praticada por Ian Stevenson), a grande maioria dos pacientes, rotulados pelos psiquiatras de "psicóticos" por ouvirem vozes (clariaudiência) ou verem espíritos (clarividência), na verdade, são médiuns com desequilíbrio mediúnico e não com um desequilíbrio mental, psiquiátrico. (Muitos desses pacientes poderiam se curar a partir do momento que tivermos uma Medicina que leva em consideração o Ser Integral).
        Portanto, a obsessão espiritual como uma enfermidade da alma, merece ser estudada de forma séria e aprofundada para que possamos melhorar a qualidade de vida do enfermo.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O que é Apometria?

Apometria é um conjunto de princípios e técnicas que tem como objetivo o tratamento, a harmonização e a conscientização dos múltiplos aspectos que movem as energias humanas. Todos nós somos um agregado de vários níveis de consciência. Esses níveis são também energias. Essas energias podem entrar em conflito, desequilíbrio, desarmonia, etc com todas as outras. Nosso agregado não é íntegro e fluido. Ele apresenta inúmeras fragmentações, pois nós mesmos somos fragmentados de nós mesmos. Muitas vezes, existem partes de nosso ser que convivem em completa divergência e conflito com outras partes. A Apometria visa o tratamento dos níveis de consciência e das energias que se irradiam a partir dos níveis.
Apometria trabalha com o desdobramento dos corpos, níveis e subníveis. Nesse sentido, é possível que o apômetra desdobre esses níveis espirituais e os conduza a tratamento no plano astral. Existem espíritos de luz que realizam todo o tratamento dos níveis quando eles são desdobrados. Além disso, existem técnicas para tornar nosso corpo etérico mais maleável e flexível, diminuindo a sua coesão intermolecular. Assim, os doutrinadores podem emanar energias positivas, de purificação, às pessoas e realizar todo um tratamento com as diversas energias cósmicas que estão a nossa disposição.
Existem vários procedimentos que podem ser realizados em uma pessoa para tratamento. Para iniciar os trabalhos, abrimos a freqüência da pessoa. Isso significa que sua energia foi dissociada e ela pode ser visualizada ou percebida pelos médiuns, através da incorporação clássica, ou através apenas da percepção daquela energia no plano espiritual ou plano astral. Aberta a freqüência da pessoa, através de técnicas específicas, é possível realizar o tratamento dos corpos espirituais. Estes são corpo etérico, astral, mental inferior, mental superior, búdhico e átmico. O Átmico não é exatamente um corpo, como se diz por ai no meio apométrico. O Átmico é a centelha divina presente no âmago de cada um de nós, portanto, não podemos dizer que ele é um corpo, pois esta essência divina não está dissociada da própria essência do Todo, do absoluto, ou Deus.
Assim, as pessoas podem receber um tratamento em seus níveis e subníveis, através da irradiação de energias de diversos tipos. Uma prática muito comum na Apometria é a cromoterapia mental, que em minha visão é muito mais eficiente que a cromoterapia feita com luzes físicas. Isso por que a mente é o agente universal catalisador de energias cósmicas, ela pode sintonizar com os raios cósmicos que dão origem as diferentes gradações da energia universal. A mente está muito mais próxima da energia cósmica do que a matéria, nesse sentido, a energia luminosa mental é muito mais poderosa em seus efeitos do que a energia física da luz.
Nos trabalhos apométricos geralmente há médiuns e doutrinadores. Os médiuns são os sensitivos que procuram captar psiquicamente aquilo que ocorre no plano espiritual para que se torne possível o tratamento. E há os doutrinadores, que são aqueles que conduzem os trabalhos, orientam o que será feito, trabalham com as energias, encaminham os obsessores, estabelecem contato com personalidades passadas ou subpersonalidades para harmonização, etc.
O apômetra não precisa ser necessariamente um médium ou um sensitivo, ele também pode ser um doutrinador. Porém, de qualquer forma, deve deixar sua intuição fluir, pois mesmo aqueles que não são médiuns podem receber mensagens do plano espiritual sobre qual condução devem dar ao tratamento em questão.
Uma pessoa que se desdobra não é necessariamente médium. Tenho observado que muitas pessoas que acreditavam não possuir mediunidade chegaram a Apometria e lá descobrem o potencial que possuem. Isso por que a mediunidade na apometria é vista de uma forma diferente. O médium apômetra não deve incorporar uma entidade e permitir que esta tome “posse” de suas funções corporais. O sensitivo deve apenas procurar “visualizar” o que ocorre no plano espiritual e manter-se mentalmente afastado das entidades, embora esteja interagindo energeticamente com elas. Assim, a projeção na apometria não é apenas astral, mas mental, no sentido de que não necessitamos do deslocamento do corpo astral até o “espaço” no plano espiritual onde reside a desarmonia, em forma de nível, personalidade passada, subpersonalidade, trabalhos de magia negra, aparelhos parasitas, etc.
A Apometria possui um conjunto de técnicas de desobsessão que é muito abrangente e profundo. Eu diria que na Apometria as técnicas de desobsessão são muito mais diretas, elas vão logo ao ponto. O doutrinador não necessita permanecer apenas no discurso com o obsessor, ele pode fazer o espírito ver as conseqüências de seus atos e assim, é muito mais simples que ele deixe o caminho negativo que está percorrendo, pois sabe que a lei do karma irá pegá-lo de qualquer forma e que não há como escapar das conseqüências dos seus próprios atos, pensamentos e sentimentos.
A obsessão de espírito é esta que descrevemos acima. Além desta, na apometria, há mais duas formas de obsessão, que é a obsessão de personalidade de vida passada e a obsessão de subpersonalidades. A obsessão de Personalidades de vidas passadas ocorre quando a pessoa que fomos no passado não aceita o que somos hoje em dia, ou possui muitas desarmonias a ponto de estar influenciando negativamente a personalidade atual. É possível então invocar a personalidade passada e trata-la através de uma série de técnicas espirituais, que a literatura da Apometria descreve e ensina.
Além desta, há também o que chamamos de subpersonalidades. Estas são criadas na vida atual e apenas nesta, através de certas situações intensas e negativas que vivemos e que acionam certos mecanismos de defesa do nosso psiquismo, criando assim uma personalidade que esteja à parte do processo global do nosso psiquismo e dissociada da personalidade atual. As subpersonalidades podem tomar autonomia e se tornar independentes de todo o restante, percorrendo caminhos diferentes e criando divisões em nossa consciência. Nossa personalidade fica fragmentada em várias partes, que podem sugar nossas energias e entrar em oposição e conflito com a personalidade atual. Tudo isto são formas de obsessão que podemos tratar na Apometria.
As técnicas apométricas podem ser realizadas isoladamente, mas é extremamente difícil e só deve ser conduzida dessa forma por um médium muito bem treinado e com o suporte da espiritualidade, quando há uma necessidade urgente de algum trabalho. Tirando isso, sua realização é apenas indicada dentro de um grupo muito bem treinado, com dirigentes experientes e com a mente aberta. Os médiuns devem possuir o mínimo possível de brechas e todos, sem exceção, devem buscar uma terapia que possa ajuda-los a se harmonizar. Observamos no Grupo Mahaidana que as pessoas que não fazem terapia ficam muito mais vulneráveis aos ataques do que outras que passaram por todo o processo terapêutico. Nesse sentido, uma terapeuta bastante próxima a apometria e que possui muitos paralelos e pontos em comum é a Terapia de Vidas Passadas.
No grupo que coordeno aqui em SP contamos com quatro equipes de médiuns e doutrinadores que trabalham com as técnicas. Em nosso grupo, ninguém permanece trabalhando se não estiver se tratando e não estiver harmonizado. Nesse sentido, antes de aceitar qualquer pessoa no grupo, realizamos uma entrevista e verificamos se a pessoa está equilibrada o suficiente para participar.
Apometria sofre muitos ataques dos partidários do “caminho da mão esquerda” e seus adeptos buscam a todo custo a desconstrução do trabalho. Isso é feito através do alimento ao ego dos trabalhadores, o fascínio pela técnica, a sensação de poder que o uso das energias provoca, a distorção dos ensinamentos, o fundamentalismo religioso e de idéias, as brigas, a inveja, o ciúme, a vampirização de energia dos trabalhos e até mesmo a dissimulação de certas energias. Como exemplo para esta última, existe a possibilidade dos obsessores apresentarem-se como mestres espirituais e transmitirem orientações equivocadas sobre os procedimentos do grupo. Cabe aos dirigentes percebem o conteúdo dessas mensagens e orientar-se muito mais pela sua intuição, pois o ataque não é apenas energético, mas também de vestir a mentira com capa de verdade.

domingo, 7 de setembro de 2014

Siga a si mesmo

Deixar de ser um seguidor das ideias, filosofias ou valores alheios é uma grande responsabilidade. Quando você segue alguém, a vida se torna mais fácil já que, quando algo dá errado, a responsabilidade não será sua.

Você culpará aquele cujas ideias ou ensinamentos você seguiu, e não se sentirá em dívida com a sua consciência. Porém, as respostas prontas, dadas a você por outra pessoa, ainda que experiente, podem se revelar inadequadas em algum momento.

Somente aquele que assume para si a tarefa de responsabilizar-se, a cada momento, por suas escolhas, poderá alcançar o verdadeiro significado da palavra crescimento.

A maturidade interior nasce do exercício constante de seguir a própria verdade, sem qualquer medo ou insegurança. E descobrir essa verdade exige que você se dedique permanentemente à auto-observação.

Somente ela lhe permitirá saber o que você deseja de fato, e se aquela escolha lhe fará feliz. E se por acaso ela se mostrar equivocada, você não terá ninguém para culpar. Entretanto, terá adquirido um aprendizado valioso, que o levará cada vez mais para perto da conquista da sabedoria.

"...Essas pessoas que não podem desfrutar de tudo - amor, vida, comida, uma bela cena, um pôr do sol, uma manhã, roupas bonitas, um bom banho - coisas pequenas, coisas comuns - se você não pode desfrutar dessas coisas, e há pessoas que não podem desfrutar de qualquer coisa, eles se interessam por Deus. Elas são as pessoas mais impossíveis; nunca podem chegar a Deus.

Deus gosta destas árvores; caso contrário, por que ele iria em criá-las? E ele não está farto de tudo... Por milênios ele tem trabalhado em árvores e flores e pássaros. E ele passa a substituir: novos seres, novas terras, novos planetas. E ele é realmente muito, muito colorido! Olhe para a vida, veja-a e você vai ver o coração de Deus - como é.

E as pessoas que são incapazes de desfrutar de tudo, incapazes de relaxar, incapazes até mesmo de desfrutar de uma boa noite de sono, são as pessoas que se interessam por Deus. E elas se interessam pelas razões erradas. Elas pensam que, porque a vida é inútil, fútil, elas têm de procurar Deus. Seu Deus é algo contra a vida, lembre-se.

Gurdjieff costumava dizer: "eu tenho procurado em todas as religiões, em todas as igrejas, mesquitas e templos, e eu descobri que o Deus do povo religioso é contra a vida. "E como Deus pode ser contra a vida? Se ele é contra, então, não há nenhuma razão para que a vida deva existir ou deva ser permitido existir. Então, se o seu Deus é contra a vida, de fato, lá no fundo, você é contra o verdadeiro Deus...

...Deus é a própria realização da vida, Deus é a própria fragrância da vida, Deus é a unidade orgânica total da vida. Deus não é algo que existe como uma pedra morta, Deus não é estático. Deus é um fenômeno dinâmico. Deus não existe , acontece. Quando você estiver pronto, acontece. Não pense que Deus existe em algum lugar e você vai encontrar uma maneira de chegar até ele. Não, não há nada, e não há outro Deus existente em algum lugar esperando por você.

Deus é algo que acontece com você quando você estiver pronto. E quando você estiver pronto - quando a tristeza desaparece e você pode dançar, quando o peso desaparece e você pode cantar, quando o peso pesado do condicionamento não está mais em seu coração e você pode fluir - Deus acontece. Deus não é uma coisa que existe, é algo que acontece. Trata-se de uma unidade orgânica dinâmica.

E quando Deus acontece, tudo acontece: as árvores, as estrelas, os rios. E para mim, ser capaz de desfrutar é a porta. As pessoas sérias nunca foram conhecidas por terem alcançado. Seriedade é a barreira, a atitude errada. Tudo o que faz você grave é irreligioso. Não vá a uma igreja que faça você sério.

Osho - Venha, siga a si mesmo.

O QUE É DEPRESSÃO

1º Diferenças entre tristeza e depressão:

Depressão:
- Não é um sentimento, mas um conjunto de sintomas que diz respeito a um quadro patológico;
- Não está necessariamente ligada a um fato. Muitas vezes o doente não consegue associar os seus sintomas a nenhum acontecimento:
- Tristeza profunda e alterações metabólicas impedem a vida saudável;
- Podem durar anos;
- Não sara com uma "forcinha" do tipo "vamos a uma festa?"
- Tira o prazer de tudo.


Tristeza:
- É um sentimento comum a todas as pessoas;
- Sempre está ligada a um fato desagradável, como uma briga com o (a) namorado (a), a perda de uma pessoa querida ou do emprego.
- Faz a pessoa se sentir apenas triste;
- Tem duração curta;
- É sempre superada. Um "empurrãozinho" de amigos deixa a pessoa mais animada.
- Não impede que as pessoas sintam alegria em fazer outras coisas.


2º Definição de depressão:

Estar deprimido é diferente das sensações ocasionais de tristeza que fazem parte normalmente da vida. A depressão é uma doença que em geral é acompanhada de alterações do humor, sono, apetite e várias outras funções do organismo. Quem sofre desta doença, geralmente não consegue livrar-se dela com as próprias forças e sentir-se bem. Sem tratamento adequado os sintomas podem persistir por semanas, meses ou anos.


3º Sintomas mais comuns na depressão:

(A depressão pode ser de grau leve, moderado ou grave, de acordo com os sintomas relacionados a seguir. Geralmente a pessoa para ser considerada deprimida deve apresentar pelo menos cinco desses sintomas, num prazo mínimo de duas semanas):


Tristeza persistente; ansiedade; sentimentos de desesperança e pessimismo; sentimentos de culpa e auto-desvalorização; perda de interesse por atividades que antes causavam prazer; insônia ou sonolência excessiva; perda ou excesso de apetite; diminuição da libido; fadiga e sensação de desânimo; inquietação e irritabilidade; dificuldade de concentração, de memorização e de tomar decisões; sintomas físicos persistentes que não respondem a tratamento, como dor de cabeça, distúrbios digestivos etc.; negligência das responsabilidades e da aparência; dificuldade de relacionamento interpessoal com tendência ao isolamento; idéias de morte, de suicídio ou tentativa de suicídio.


4º Possíveis causas da depressão:

Pode ser causada por diversos fatores, isolados ou combinados: implicações genéticas; diminuição no nível dos neurotransmissores cerebrais, tais como a dopamina, serotonina e noradrenalina, as quais são responsáveis pela regulagem das emoções; alterações psíquicas provenientes de "stress' intenso e perdas importantes; por uso de droga, álcool e alguns medicamentos; decorrentes de outras enfermidades crônicas, como a AIDS e câncer; disfunções hormonais e da tireóide; distúrbios neurológicos e outras doenças psiquiátricas.


5º Tipos especiais de depressão:

Depressão pós-parto:
Existem duas formas deste tipo de depressão, uma mais leve e mais comum chamada pelos americanos de "Blues Pospartum", ainda sem tradução para o português, e a outra chamada de depressão pós-parto. O blues é uma condição benigna que se inicia nos primeiros dias após o parto, dura de alguns dias a poucas semanas, é de intensidade leve não requerendo, em geral, uso de medicações, pois é auto-limitada e cede espontaneamente. Caracteriza-se basicamente pelo sentimento de tristeza e choro fácil, que não impedem a realização das tarefas maternais.


A depressão pós-parto é prolongada e assim classificada sempre que iniciada nos primeiros seis meses do pós-parto. É incapacitante requerendo o uso de antidepressivos, e por isso, alguns psiquiatras recomendam a suspensão da amamentação caso seja introduzida medicação antidepressiva.


Psicose maníaco-depressiva:
É um transtorno caracterizado por episódios de mania seguidos ou não de episódios de depressão. Na fase maníaca as principais manifestações são: delírios de grandeza ou de perseguição; diminuição da necessidade de sono (dorme entre 2 a 3 horas por noite); grande confluência de idéias sem conseguir dar prosseguimento a nenhuma delas; fala ininterruptamente, perda do senso de realidade, aumento generalizado da atividade motora. O humor fica exaltado no sentido da alegria contagiante ou da irritabilidade agressiva. Após o episódio o paciente pode restabelecer a normalidade. Na fase depressiva do transtorno bipolar, a mesma é igual ao episódio da depressão recorrente, embora sejam consideradas doenças distintas e que atinge pessoas de estrutura de personalidade psicótica.


6º O tratamento convencional da depressão:

Medicamento antidepressivo e psicoterapia. As fases do tratamento consistem:
1º no tratamento da fase aguda, que tem por objetivo a eliminação dos sintomas da depressão.
2º tratamento de extensão, que seria uma espécie de manutenção após a eliminação dos sintomas para evitar que a doença e apareça.


7º O tratamento holístico da depressão:

O Reiki: que consiste na canalização de energias universais (Rei) e vitais (Ki), através das mãos, direcionando-as para o corpo físico e os chacras, trazendo ressonância no aspecto emocional, mental e espiritual.
Os Florais: são essências de flores que, quando ingeridas, atuam no nível emocional, mas que ressoam também, sobre o corpo físico, a mente e o espírito de forma equilibrada.


8º Cuidando de você mesmo (a):

Quando se está deprimido (a) é importante: Respeitar suas limitações. Estabeleça metas compatíveis com a sua condição atual.
Reconhecer que pensamentos negativos (de auto-reprovação, desânimo, expectativa de fracasso e outras idéias desse tipo) fazem parte da depressão. Na medida em que você superar a depressão, os pensamentos negativos também irão desaparecer.
Evite tomar decisões importantes durante o episódio depressivo. Se for imprescindível tomar alguma decisão importante, peça ajuda de seu médico, terapeuta ou de alguém que você confie.
Evite uso de drogas e álcool. Pesquisas demonstram que os mesmos podem desencadear ou piorar a depressão. Além de produzir efeitos colaterais perigosos, podem reduzir a eficácia dos medicamentos antidepressivos.
Procure a companhia de outras pessoas, geralmente é melhor do que ficar sozinho nesta fase.
Pratique uma atividade física, como exercícios leves do tipo caminhadas ou bicicleta.
Compreenda que assim como levou tempo para depressão se desenvolver, também demorará algum tempo para que ela desapareça. Lembre-se que os medicamentos antidepressivos podem levar até duas semanas para começar a fazer efeito.


9º Alguns dados estatísticos:

Adolescentes, crianças e até bebês podem sofrer de depressão. E o que é pior, podem crescer assim e levar os adultos a pensar que "esse é o seu jeito". A OMS fez um levantamento para mostrar que a doença não escolhe idade: segundo os dados, 1,9% das crianças e 4,7% dos adolescentes do mundo sofrem do problema. Eles são tristes, têm baixa estima, e desenvolvem uma tendência a autodestruição, que muitas vezes pode acabar em suicídio. A depressão afeta 15-20% das mulheres e 5-10% dos homens. Mulheres são duas vezes mais afetadas que os homens. Aproximadamente 2/3 das pessoas com depressão não fazem tratamento. A maioria dos pacientes deprimidos que não são tratados irão tentar suicídio pelo menos uma vez. 17% deles conseguem se matar. Com tratamento correto, 70-90% dos pacientes se recuperam da depressão.


O tratamento da depressão na medicina alternativa
O tratamento da depressão de forma natural e permanente pode ser a chave para ter uma vida saudável e feliz novamente. A depressão pode prejudicar toda a nossa vida, incluindo o rendimento no trabalho, relacionamentos, esportes e vida social em si. Assumir o problema e procurar tratamento é uma decisão extremamente importante. A depressão pode ser causada por desequilíbrios químicos associados com o corpo físico ou ser resultado de um estresse mental, que pode afetar a saúde de forma profunda.


Tomar remédios antidepressivos pode proporcionar um alívio temporário dos sintomas, mas geralmente eles causam danos incalculáveis para a saúde física. Ocaminho natural pode ser uma saída, pois traz bons resultados sem efeitos secundários prejudiciais. No entanto, deve-se observar que cada pessoa pode ter melhores resultados com um tipo de tratamento em especial.


O tratamento da depressão na medicina alternativa
(Procure Sempre um bom profissional para sua orientação)


Pesquisas comprovaram que a medicina alternativa, usada isoladamente ou em conjunto com medicamentos convencionais, pode significar uma redução na quantidade de medicamentos necessários para o tratamento da depressão, bem como dos sintomas depressivos.
Uma das maiores descobertas nos últimos anos tem sido a constatação de que a vitamina D pode afetar o humor, especialmente em pessoas que foram diagnosticadas com a deficiência, que causa transtorno afetivo sazonal (TAS), uma depressão que aparece nos meses de inverno, quando há falta de sol. A deficiência também ajuda na perda de massa óssea, causando osteoporose, uma vez que o corpo necessita de uma quantidade suficiente de vitamina D para absorver o cálcio.
Os níveis de serotonina muito baixos podem desempenhar um papel importante no humor e pesquisadores acreditam que isso pode levar à depressão, ao transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), à ansiedade ou a ataques de pânico.


Outros remédios naturais e suplementos que ajudam a combater os sintomas depressivos e a regular os níveis de serotonina e a função do cérebro são:
5-HTP, um precursor da serotonina.
Vitaminas do complexo B, cujos níveis baixos no organismo podem causar depressão. As vitaminas do complexo B ajudam a transformar a proteína proveniente da alimentação em serotonina, um hormônio do “bem-estar”, que também está presente em muitos remédios tradicionais para depressão. Pesquisadores descobriram que as deficiências de folato e de vitamina B-12 podem estar entre as causas da depressão. Estes nutrientes também tendem a ajudar a medicação antidepressiva a funcionar melhor.
Óleo de peixe ômega-3 – melhora a comunicação entre as células do cérebro. Adicionar ômega-3 na dieta faz com que haja no cérebro um equilíbrio de gorduras consideradas saudáveis. Os ácidos graxos ômega-3 são muito importantes para a construção de um cérebro saudável.
Outras indicações para tratar a depressão naturalmente são acupuntura, meditação (ajuda a controlar o estresse e traz muitos outros benefícios), exercícios físicos (liberam endorfina – estimulantes naturais), além de um bom sono, para reduzir o estresse.


Uso da homeopatia

O tratamento homeopático é baseado na procura da causa de cada depressão específica. Se a causa para o início da depressão não é detectada, o tratamento homeopático é baseado em sintomas pessoais. Todo mundo é um indivíduo único, bem como todos os sintomas são únicos.
Um dos principais remédios homeopáticos para a depressão causada pela dor éIgnatia amara. A Ignata também pode ajudar a tratar distúrbios psicológicos causados por vários motivos, como separação, perda de emprego e até mesmo experiências de abuso.
A Pulsatilla é um tipo de remédio homeopático que pode beneficiar pessoas inclusive com a depressão bipolar, que possuem variações repentinas de humor. Pessoas com baixa autoestima podem se beneficiar da Natrum murlatlcum. Este remédio homeopático pode ajudar pessoas com tendência a muito choro, além de ajudar a liberar ressentimentos.
Pessoas deprimidas, independentemente da causa, podem levar mais tempo para perceber uma mudança com base na gravidade da depressão.


Ervas

Ervas sedativas como camomila, erva-cidreira e aveia podem diminuir as tensões nervosas e elevar o estado de espírito.

A lavanda misturada com flores de borragem em preparações herbais pode ser um bom remédio natural para a depressão.
O hipérico, conhecido também como erva-de-são-joão, talvez seja a erva mais conhecida no tratamento de depressão. Estudos sugerem que o fitoquímico presente na erva, a hipericina, pode ter monoamina oxidase, que auxilia nessa condição. A erva também parece influenciar nos níveis de dopamina e norepinefrina do cérebro, substâncias que podem inibir a produção e o funcionamento do neurotransmissor serotonina, uma das responsáveis pela sensação de bem-estar no cérebro. Embora também usado, o hipérico é menos eficaz no tratamento das oscilações de humor, depressão bipolar e no tratamento do transtorno afetivo sazonal. A erva é utilizada de várias maneiras, como cápsulas, chá ou tintura.
Existe um fitoterápico muito bom chamado Ansiodoron, que vem em gotas ou comprimido. É muito seguro e ajuda nos distúrbios do sono e da ansiedade. Pode ser usado também por crianças.

Aromaterapia

A aromaterapia é também uma alternativa útil para ajudar a produzir mais sentimentos positivos. Para apoiar a cura emocional, o toque em forma de massagem pode melhorar muito a recuperação. Para o tratamento da depressão, escolha tônicos estimulantes e óleos essenciais, como jasmim e angélica, que podem ser usados pelo menos três vezes por semana em banhos e massagem nos pés. O óleo essencial de jasmim age como um sedativo para os nervos e ao mesmo tempo é muito estimulante, antidepressivo e produz um cheiro muito agradável e positivo. O perfume de rosas cria uma sensação de bem-estar e leve euforia e há muito tempo é reconhecido como um bom antidepressivo.
Seja qual for a opção no tratamento da depressão, lembre-se de que a força de vontade interior pode ser o maior dos aliados na cura. Acreditar que a cura da depressão é possível pode ser um grande começo.

Análises Estruturalistas

Cada vez mais o pensamento ocidental afasta-se dos conceitos de análises estruturalistas onde estuda-se as partes por níveis para che­gar ao conjunto. A Física Quântica mostra que tudo pode ser redu­zido a energia e a sua manipulação. Vemos que a energia precede a matéria, igualmente como os pensamentos e emoções precedem a ação. Assim, aproximamo-nos cada vez mais dos conceitos orientais que declaram a energia como o princípio que, condensado, forma a matéria. Esse fato cientificamente nos é apresentado pela fórmula de Einstein (E = M x C2) que nos mostra a íntima ligação entre energia (E) e matéria (M). Milenarmente, a história mostra a transformação da energia moldando a matéria.

O CONCEITO HOLÍSTICO


“HOLÍSTICO” deriva do vocábulo grego “HOLOS”, que traz em si a idéia do todo. Então o conceito de visão holística indica a visão total, do todo, por inteiro. É uma visão sistêmica, em que tudo se relaciona a influencia, de tal forma que por menor que seja a atuação ou o fenômeno, esse ira atingir o todo. Na saúde, a visão de gran­de pane das pessoas, ainda hoje, é influenciada pelo mecanicismo a pelo relacionamento causa efeito, achando que as reações físicas tem em sua base apenas uma causa física. Isso é até fácil de se enten­der: a princípio, torna-se mais fácil explicar o universo a avaliar as situações dessa forma. Por isso, tantos hoje procuram profissionais, principalmente na área de saúde, como procuram um mecânico de automóveis, querendo reparos mecânicos, físicos a imediatos.

Albert Einstein nos trouxe com suas teorias, mudanças em nossa forma de pensar - A Visão holística - tão antiga no oriente e, tão jovem no Ocidente. A física atômica apresenta a matéria como composta de átomos, a esses de partículas atômicas como prótons, nêutrons a elétrons. a partir daí foram descobertas partículas subatômicas ainda menores: o “quanta” com formas de ondas ou energias.

A Teoria da Relatividade e a equação E = M x C2 (E = Energia, M = massa dos corpos físicos e C = a velocidade da luz) nos apresenta Massa a Energia como uma única realidade. Então nós não podemos ser comparados a um sistema mecânico montável a desmontável, no todo ou em parte. Nós somos parte de um sistema energético, composto de diversas partes palpáveis a não palpáveis que estão a se mantém unidas entre si a com o todo do universo. Comparado com o todo, qualquer coisa seria menos que um grão, mas sem essa coisa, não haveria esse todo. Essa é a forma holística de se ver.

A Terapia Holística é hoje a alternativa de tratamento de saúde que mais cresce no mundo. O aumento significativo dessa procura é motivado principalmente pela forma como essa terapia enfoca o ser humano e seus problemas. No trabalho holístico o ser humano não se resume apenas em um corpo físico, e sim visto como um complexo composto basicamente de uma individualidade inteligente (chamada de corpo emocional ou astral, alma ou espírito), um corpo energético, e um corpo físico, não podendo assim serem tratados individualmente. No enfoque holístico a doença do corpo físico é apenas, e tão somente, o reflexo ou a somatização das desarmonias já existentes nos corpos energéticos e ou emocionais. Assim sendo o tratamento holístico visa tratar não apenas as dores ou desajustes do corpo físico, ou seja, não somente o efeito, mas sim, busca detectar a origem do mal e trata-lo para que assim deixe de existir não só o mal mas também a causa que o provoca.

Fazendo uso das mais variadas técnicas de trabalhos naturais a terapia holística busca despertar na pessoa o auto equilíbrio corpóreo/psico/social através da correção e harmonização de seus próprios recursos físicos, emocionais e energéticos, transformando assim a desarmonia em saúde e autoconhecimento.
Dentre as técnicas mais divulgadas no Brasil estão: DO-IN, SHIATSU, YOGA, ACUPUNTURA, TAI-CHI-CHUAN, FLORAIS, REIKI, MASSAGEM BIOENERGÉTICA, dentre outras.

Com essas técnicas a terapia pode ajudar pessoas com stress físico e/ou emocional, dores nas costas, ombros, membros superiores e inferiores, ciático, ajuda ainda no combate e prevenção de problemas como ansiedade, insônia, depressão, TPM. Fazendo uso de vários métodos diferentes a terapia holistica pode detectar no corpo energético da pessoa alterações que estejam comprometendo o seu estado físico e/ou emocional, podendo aí auxilia-lo e orientá-lo nas correções necessárias para o seu reequilíbrio. É possível também através do emprego das mãos, com exames de apalpação dinâmica ou estática identificar desalinhamentos, restrições de movimentos e sinais de alterações estruturais no corpo físico. Costuma-se dizer na terapia holística que o corpo fala mais do que a boca quando se trata de expor sobre dores e emoções.

É importante esclarecer que dentro do paradigma holístico e até mesmo legal, o terapeuta holístico não é doutor, por isso ele não “receita”, mas sim “recomenda”, ele nunca “diagnostica”, ele “avalia”, “analisa”, e nunca “doenças”, e sim “disfunções”, “desequilíbrios energéticos”, “predisposições”. Da mesma forma jamais usa “medicamentos” (que pressupões pela própria gênese da palavra, a existência de um médico), recomenda isto sim, “remédios naturais”, “essências”, “extratos”.
Um bom terapeuta nessa área não se forma com a simples leitura de um ou outro livro desta ou daquela técnica de trabalho, ou ainda com a freqüência em qualquer curso da matéria. Para se formar um bom terapeuta é necessário fazer cursos nas áreas especificas, muita leitura, muita pesquisa, muita pratica, e acima de tudo uma formação e uma conduta moral muito sólida. Somente assim o terapeuta saberá compreender o valor de servir e respeitar o próximo, e ajudar a evolução da humanidade que é o verdadeiro espírito do holismo. Por isso infelizmente temos ainda muitos terapeutas atuando nessa área sem o devido preparo.

Recomenda-se portanto que ao escolher o seu terapeuta, procure antes conhece-lo bem, informar-se sobre seus reais conhecimentos e sua capacidade, a sua verdadeira experiência nessa área de tratar a pessoa e seus problemas.

Yoga


  é a transformação da consciência humana em consciência divina.


É uma filosofia prática que permite ao ser humano acordar de seu sono e vivenciar a felicidade permanente que ele é.

O ser humano, não percebendo que ele já é a felicidade, busca incessantemente esta felicidade fora de si, nos objetos externos. Mais cedo ou mais tarde, percebe que a causa do seu sofrimento está na limitação de sua mente, e que a felicidade não é encontrada fora, mas em cada momento em que está consigo mesmo, sem desejos, sem pensamentos, em paz.

O Yoga Sutra, texto clássico sobre Yoga, inicia com a seguinte definição sobre Yoga:
Yoga é a suspensão dos processos mentais. (Yoga Chitta-vrittti nirodhah)
A mente oscilante é o grande obstáculo à percepção do Eu Real. Segundo o Vedanta este Eu é a base de tudo o que existe e sem esse Eu, que é consciência, a mente não seria possível, mas a mente não é real e encobre o Eu. Por essa razão o Yoga tem por objetivo interromper esse fluxo de pensamento e a identificação com a mente, percebendo assim a base da mente que é a consciência e alcançar o Samadhi (união, ênstase, superconsciência).

O Yoga citado nos Vedas é integral, sem divisões. Usar somente o termo “Yoga” deveria indicar que se está abordando o Yoga na sua totalidade. Mas hoje erroneamente se usa o termo e se fala somente do primeiro degrau do Yoga que é o Yoga corporal. Isto acontece porque esta é a porta de entrada do Yoga. Infelizmente muitas linhas de Yoga ignoram os próximos passos a serem trilhados pelos verdadeiros yoguis.

“Tempo houve em que desprezei o corpo mas então
vi Deus dentro de mim. Percebi que o corpo é o templo do Senhor,
e comecei a preservá-lo com infinito cuidado.”
BHOGAR- Kundalini Yoga - sec.XVII
Hatha Yoga é um sistema de técnicas psicossomáticas que servem de instrumento para transformar o corpo físico num corpo divino.

“A mente é como o vento. O corpo como a areia.
Se voce quer conhecer o vento, observe o movimento da areia.”
As impressões da mente registram-se no corpo, em forma de tensões e flacidez, condicionando o caráter e posteriormente podendo causar doenças psicossomáticas. O Hatha Yoga é uma ramificação do tantrismo, é o sucessor imediato do culto Sidha do tantrismo que promoveu o culto do corpo ou compreensão através do corpo. A idéia central deste caminho é que o corpo não é um obstáculo à iluminação (como era afirmado em tempos pré tantricos), mas o templo do divino. A primeira intenção do Hatha Yoga é preparar o corpo para práticas mais avançadas e para a subida da kundalini (para que não haja um curto circuito). O Hatha Yoga revive o ideal antigo e popular da imortalidade no corpo, a compreensão de que a iluminação deve ser alcançada em vida e não após a morte, para tanto é necessário o corpo saudável, vitalizado e vida longa.
Consta que o fundador do Hatha Yoga foi Gorakshanata e atribui-se a ele duas obras: Hatha Yoga e Goraksha Sanhita, das quais conserva-se somente o segundo texto. Seu mestre é o lendário Matsyendranatha, um dos 84 perfeitos siddhas. Numerosas lendas tem sido criadas ao redor destes dois mestres, e é dificil extrair delas as realidades históricas. Entre os manuais de Hatha Yoga baseados nas obras de Goraksa estão o Siva-Samhita, o Gheranda-Samhita, o Hathayoga Pradipika, o Yoga-Yjnavalkya e o Yoga-Cudamani-Upanisad.
O Goraksa Samhita o mais antigo texto sobre Hatha Yoga expõe sua sadhana em 6 partes.
O Yoga, ou processo espiritual, sempre foi comparado a um fogo purificador que consome a personalidade egóica até deixar somente a Identidade transcendental (consciência testemunha).
A personalidade egóica luta desesperadamente para sobreviver. A mente e seus conceitos, não desejam ser questionadas e criam artimanhas para sobreviver. Mas a mente precisa morrer para que o Si Mesmo Transcendente possa brilhar. Para isso devemos submeter-nos ao fogo purificador do Yoga. È necessário uma disciplina constante e ardente.
O despertar da Kundaliní é dito como o despertar do fogo serpentino.
O fogo (agni) é produzido pela fricção de dois pedaços de madeira: um bastão mantido verticalmente e uma base horizontal. O girar do bastão superior, considerado o pai de Agni, faz brotar, no ponto de fricção, a faísca que inflama a base, considerada a mãe de Agni. A manifestação do fogo é, portanto, o resultado de uma fricção entre duas forças opostas, comparada ao ato de procriação.
o corpo é destruído pela morte.
Mas se o pote estiver cozido não se dissolverá.
Portanto submeta o corpo ao fogo do Yoga,
a fim de purificá-lo e fortificá-lo.
O esforço ou Sadhana é a disciplina ardente (Tapas) que vai permitir ascender o fogo serpentino (kundaliní). Este mesmo fogo é representado também no fogo sacrificial dos rituais Védicos (Atharvaveda ), onde o Deva ou princípio divino se torna manifesto e se eleva pela oferenda contínua. O sacrifício ou esforço é um dos fundamentos da doutrina Védica.
O que os textos védicos chamam de fogo, está longe de limitar-se apenas ao nosso conceito físico. O fogo representa o princípio da vida, de calor , de consciência, oculto em todos os seres. Como citam os textos: “o fogo habita escondido na terra, nas plantas, nas pedras e as águas o arrastam. Há um fogo encerrado profundamente no homem, um fogo nas vacas, um fogo nos cavalos.” Em outro trecho diz: “Ele permanece oculto ainda que suas chamas sejam brilhantes. Este fogo citado é a identidade única: Deus ou consciência que tudo ilumina e não é iluminado por nada. Reconhecer a si mesmo é Yoga. O Objetivo do Yoga é Moksha, a liberação do Samsara (ciclo de nascimento e morte), é encontrar a imortalidade ou reconhecer o Ser Imortal que somos.
O que os textos védicos chamam de fogo, está longe de limitar-se apenas ao nosso conceito físico. O fogo representa o princípio da vida, de calor , de consciência, oculto em todos os seres. Como citam os textos: “o fogo habita escondido na terra, nas plantas, nas pedras e as águas o arrastam. Há um fogo encerrado profundamente no homem, um fogo nas vacas, um fogo nos cavalos.” Em outro trecho diz: “Ele permanece oculto ainda que suas chamas sejam brilhantes. Este fogo citado é a identidade única: Deus ou consciência que tudo ilumina e não é iluminado por nada. Reconhecer a si mesmo é Yoga. O Objetivo do Yoga é Moksha, a liberação do Samsara (ciclo de nascimento e morte), é encontrar a imortalidade ou reconhecer o Ser Imortal que somos.

Ventosaterapia

VentosaterapiaSessão de ventosaterapia

A utilização das ventosas no tratamento de doenças não é uma exclusividade da Medicina Chinesa, existem informações do seu uso desde o antigo Egipto, ela também é mencionada nos escrito de Hipócrates e praticada pelo povo Grego no século IV a.C., possivelmente conhecida e utilizada por outras nações antigas.
cabaçaO antigo instrumento utilizado para fazer ventosas era a cabaça, conhecida naquela época como “curubitula” que em latim significa ventosa. Nas regiões primitivas do mundo, a ventosa tem registos históricos que datam de centenas a milhares de anos. Nas suas formas mais primitivas, era utilizada pelos índios americanos que cortavam a parte superior do chifre dos búfalos, com cerca de 10 cm de comprimento, provocando o vácuo por sucção oral na ponta do chifre, sendo de seguida tamponado. O uso de ventosas no Ocidente antigo era um elemento terapêutico corriqueiro e de grande valor panaceico. Pois por falta de outros recursos médicos, a ventosaterapia era utilizada praticamente na cura de todas as doenças. Abordado por essas épocas como um instrumento curativo mágico, pelo contacto intimo com o interior do corpo através do sangue. Ela era respeitada também pela sua actuação no elemento energético gerado pela respiração. Teoria que se aproximava dos conceitos de Medicina Oriental.
Paracelso também descreveu aplicações de ventosas no primeiro século d.c., advertindo que a aplicação de ventosas é benéfica tanto para doenças crónicas como para as agudas, incluindo ataques de febre, e mencionou outras advertências na utilização das ventosas.
Na Europa, assim como na Ásia existiam vários métodos modificados de sangria e escarificação, na Europa a “veneseção” ou sangria das veias era uma prática popular, enquanto na Ásia o sangramento das dilatações capilares (telangiectasias) na periferia da pele junto com ventosas era o método mais utilizado.
SanguessugaO uso das sanguessugas como terapêutica foi comum na idade média no ocidente. Em Portugal os “barbeiro-sangradores” eram geralmente, os técnicos encarregados de aplicar sanguessugas, por concessão de uma licença cedida pelo cirurgião-mor. Naquela época, em Lisboa, foram publicados vários livros sobre o assunto, e os salões de barbear eram o local de venda das sanguessugas.
O uso de ventosas no Oriente foi desenvolvido com base na acupunctura, a aplicação de ventosas foi originalmente, conhecida como Método Chifre. Os chifres dos animais eram aquecidos, criando-se um vácuo quando eram colocados sobre a pele. O propósito era tratar doenças e retirar o pus. No fim do período Neolítico, o desenvolvimento da agropecuária facilitou o desenvolvimento do Método Chifre (ventosa).
ventosaO que distingue estas habilidades primitivas dos chineses, das outras áreas do mundo, é a extensão do seu subsequente desenvolvimento, dentro da estrutura da tradicional fisiologia e patologia. O Método Chifre foi posteriormente substituído por outros métodos de sucção posteriormente desenvolvidos, em que se obtinha o efeito de ventosa utilizando-se cúpulas de bambu, metal e posteriormente vidro. A sucção é obtida actualmente, colocando-se uma substância cadente na ventosa antes de coloca-la sobre a pele, aquecendo-a com água quente, ou com o bombeamento do ar para fora desta uma vez posicionada na pele.
A ventosa segundo a MTC tem a propriedade de limpar o sangue das toxinas acumuladas no organismo produzida pelos alimentos e outras fontes poluentes. A estagnação do sangue estagnado, escuro e sujo, nos músculos das costas ou das articulações é considerado pelas Medicinas Orientais como um dos elementos causadores de doenças. A ventosa é usada para o alívio de dores musculares, melhorar o sistema circulatório e até mesmo, para redução de celulite e gordura localizada, lombalgias, dor abdominal, hipertensão arterial e muitas outras patologias.
As ventosas podem ser utilizadas em associação com outras terapias reforçando a efectividade destas. Várias ventosas podem ser utilizadas para tratar desordens sobre uma área mais ampla, por exemplo, ao longo de um estiramento muscular ou dispostas em fileiras horizontais e verticais sobre um órgão doente tendo-se o cuidado de não se deixar as ventosas muito próximas umas das outras.
Massagem com VentosaPode-se utilizar a ventosa para produzir o “efeito massagem” que consiste em mover as ventosas sobre superfícies grandes e lisas do corpo, tais como as costas e as coxas, nestes casos são utilizadas ventosas de boca média a grande, e em primeiro lugar deve-se lubrificar a zona do corpo que se vai massajar. Esta massagem tem o efeito de remover a pele ressacada pela abertura dos poros e pela transpiração. Mecanicamente, aumenta o fluxo da linfa, reduzindo o edema, mantém a flexibilidade dos músculos, retira as adesões e as fibroses e mobiliza o funcionamento dos órgãos, descongestiona os bloqueios de energia, activa a circulação e o funcionamento geral do corpo.
A aplicação de ventosas é contra-indicada para casos de febre-alta, convulsões ou cólicas, alergias na pele ou inflamações ulceradas, áreas onde o músculo é fino ou a pele não é plana por causa dos ângulos e depressões ósseas, no abdómen e região lombar em gestantes. Algumas outras considerações a ter no uso das ventosas é que estas devem ser deixadas no local somente até haver congestão local (geralmente 5 a 15 minutos). Se forem mantidas por muito tempo pode-se formar uma bolha, se esta for grande deve ser furada para drenar o líquido, e seguidamente deve ser coberta para evitar infecção.
A aplicação das ventosas deixa frequentemente uma marca púrpura na pele aonde esta foi sugada, isto é normal e vai desaparecer sem tratamento especial. Se a marca for muito profunda, as ventosas não devem ser colocadas de novo nesse local enquanto subsistir a marca.

O que é o método Reiki?

O método Reiki é um sistema natural de harmonização e reposição energética que mantém ou recupera a saúde. É um método de redução de estresse. Reiki é um sistema próprio para despertar o poder que habita dentro de nós, captando, modificando e potencializando energia. Funciona como instrumento de transformação de energias nocivas em benéficas. É um sistema revolucionário para adaptar o ser humano às exigências da Era de Aquarius.


Reiki é uma palavra japonesa que identifica o Sistema Usui de Terapia Natural (Usui Reiki Ryoho), nome dado em homenagem ao seu descobridor, Mikao Usui. Rei significa universal e refere-se ao aspecto espiritual, à Essência Energética Cósmica que permeia todas as coisas e circunda tudo quanto existe. Ki é a energia vital individual que flui em todos os organismos vivos e os mantém. Quando a energia ki sai de um corpo, ele deixa de ter vida. A energia Reiki é um processo de encontro dessas duas energias, a Energia Universal e a nossa energia física. Ocorre depois da sintonização ou iniciação, feita por um mestre habilitado. A energia Reiki é uma das maiores forças deste planeta para a evolução das pessoas, um caminho de harmonização interior com o Universo. É uma energia confortadora vinda de Deus, do Criador. Vem do macrocosmo para o microcosmo. Todos nós temos acesso à energia Reiki. Utilizá-la é nosso direito inato. Reiki é um presente poderoso, uma oportunidade para o iniciado crescer e transformar-se. É uma energia de paz e libertação com a qual o Criador abençoa o planeta. Ajuda a deter a violência e tendências autodestrutivas. É um poderoso antídoto contra o cigarro, o alcoolismo e as drogas que degeneram a humanidade.

REIKI É A ENERGIA VITAL KI GUIADA PELA IN­TELIGÊNCIA UNIVERSAL REI, CANALIZADA E APLICADA PELOS PRATICANTES DO REIKI

REFLEXOLOGIA PODAL:

A Reflexologia Podal é muito mais do que uma massagem nos pés! Saiba o que é e como você pode se beneficiar da Reflexologia dos pés.
Sapato apertado, tênis fechado, longas caminhadas, bolhas, um dia inteiro de trabalho sem que os pés “respirassem”!
Acredito que todos que já passaram por esta situação pensaram:

“- Como seria bom se eu recebesse uma massagem nos pés”!
Mais do que o relaxamento, a reflexologia podal, ou reflexoterapia como também é conhecida, é uma terapia que pode trazer grandes benefícios para a saúde. Saiba mais agora!

O QUE É REFLEXOLOGIA PODAL?

A reflexologia dos pés não pode ser considerada uma massagem básica. Por mais que a massagem promove benefícios como relaxamento e bem estar, a reflexologia é uma técnica que utiliza a pressão dos dedos em pontos específicos que estão conectados e correspondem a todas as partes do corpo.
O terapeuta realiza uma pressão que não chega a ser tão forte e nem tão suave. O cliente pode até sentir um incômodo, porém, a dor é suportável.
Imagine um mapa. Cada ponto nos pés representa uma área específica do corpo.
Quando o terapeuta realiza a pressão nestes pontos, tanto o cérebro quanto o sistema nervoso são estimulados e conseguem corrigir qualquer disfunção, fazendo com que o próprio organismo elimine as toxinas existentes.

BENEFÍCIOS DA REFLEXOLOGIA PODAL

reflexologia podal tem sua história e origem datada de mais de 4000 anos e é recomendada para as seguintes finalidades:
  • Estimular o sistema imunológico
  • Liberar as toxinas existentes
  • Aliviar a dor
  • Melhorar a circulação sanguínea
  • Promover relaxamento geral do corpo

QUIROPRÁTICA (TRATAMENTO DA COLUNA):

Quiropraxia: a terapia que cuida da sua coluna e alivia a dor de cabeça

O tratamento com quiropraxia identifica problemas na coluna vertebral e alivia os problemas corrigindo os desvios. Ele alivia até a dor de cabeça


Assim como um carro, o corpo humano também tem uma mecânica. Para funcionar a todo vapor, ele deve estar bem alinhado. Se isso não acontece, o corpo acende o sinal vermelho e as dores aparecem. "O papel da quiropraxia é justamente identificar problemas na coluna e resolver os sintomas do corpo causados por eles", explica o quiropraxista Luiz Heihati, da clínica Quirovida, de São Paulo. Saiba mais sobre esse tipo de tratamento:

O que é quiropraxia?

É um tratamento que detecta e corrige problemas na coluna vertebral. O quiropraxista usa as mãos para remover essas interferências por meio de ajustes na coluna, para que o corpo funcione de forma plena. A quiropraxia também atua de forma preventiva.

Pessoas de qualquer idade podem fazer esse tratamento?

Qualquer pessoa pode se tratar com a quiropraxia. O que muda é a técnica que será determinada pelo quiropraxista para cada paciente.

Quanto tempo leva para a recuperação?

Como cada corpo responde de uma forma, é impossível prever um tempo exato de recuperação. No entanto, uma única sessão pode trazer grandes resultados.

Como é feito o tratamento?

É realizado por meio de ajustes específicos na coluna, com o objetivo de corrigir os desvios e remover os obstáculos que dificultam a chegada dos estímulos nervosos a certas partes do corpo, como braços, pernas e órgãos.

Por que problemas na coluna provocam dor de cabeça?

As atividades cotidianas, os movimentos repetitivos e a postura incorreta podem fazer a coluna cervical (região do pescoço) perder seu alinhamento. Isso provoca uma interferência na raiz dos nervos, impedindo que eles transmitam os estímulos nervosos normalmente. Como alguns nervos que saem da cervical se comunicam enxaquecacom estruturas da cabeça, é ela quem sofre as consequências e emite, como aviso, o sinal de dor.

Cuidado com os remédios!

Um erro comum dos pacientes com enxaqueca é tomar medicamentos em excesso. "O uso contínuo de analgésicos enfraquece o sistema antidor do nosso corpo, o que deixa o problema ainda mais crônico", 

MASSOTERAPIA (SHIATSU):

O QUE É SHIATSU?


Conhecida como uma das técnicas mais aplicadas no Ocidente, o Shiatsu é uma técnica completa que promove saúde

O Shiatsu (lê se xi-á-tissu) também é conhecido e chamado de “massagem oriental”, porém, não podemos levar isto ao pé da letra, pois o Shiatsu é muito mais do que uma massagem.
Em uma massagem relaxante, por exemplo, o terapeuta foca em um problema específico do cliente. Já no Shiatsu, o terapeuta atende o cliente analisando todo o contexto de sua vida, seja pela análise da sua rotina, alimentação e estilo de vida.

Esta é uma das principais diferenças do Shiatsu para outras técnicas! Neste artigo lhe mostraremos mais sobre o que é Shiatsu e como esta técnica pode lhe ajudar no dia a dia.


MAIS SOBRE O QUE É SHIATSU?

Shiatsu é uma palavra japonesa onde “Shi” significa dedos e “atsu” pressão, ou seja, o Shiatsu significa pressão com os dedos. Porém, além dos dedos, o terapeuta utiliza os cotovelos, joelhos e mãos para realizar a técnica.
Assim como outras técnicas de massagens que tratamos aqui no blog, o Shiatsu se origina da Medicina Tradicional Chinesa.
Na Medicina Oriental, acredita-se que uma doença é causada quando há um desequilíbrio nos canais de energia da pessoa, seja por estresse, má alimentação, sedentarismo, entre outros fatores.
Esta energia é chamada de “Ki” em japonês, também conhecida como “Chi” em chinês e “Prana” em indiano.
Com o Shiatsu, é possível estimular estes pontos de energia fazendo com que o próprio corpo ative a circulação do “Ki” promovendo o bem estar.

FITOTERAPIA

Parte inferior do formulário
Fitoterapia

A fitoterapia ou terapia pelas plantas é uma das mais antigas práticas terapêuticas da humanidade. Ela remonta há cerca de 8.500 a.c. e apresenta origens tanto no conhecimento popular (etnobotânica) como na experiência científica (etnofarmacologia).
As plantas contêm princípios ativos capazes de curar diversas doenças e foi  a partir do reconhecimento destas propriedades terapêuticas que se deu o surgimento da medicina alopática moderna.
O termo Fitoterapia deriva do grego therapeia, tratamento, e phyton, vegetal, e diz respeito ao estudo das plantas medicinais e suas aplicações na cura das doenças.
Ela surgiu independentemente na maioria dos povos. Na China, por exemplo, surgiu por volta de 3000 a.C., quando o imperador Cho-Chin-Kei descreveu as propriedades do Ginseng e da Cânfora.

Fitoterapia x Medicamento Fitoterápico

A definição de medicamento fitoterápico é diferente de fitoterapia. Os medicamentos fitoterápicos são preparações elaboradas por técnicas de farmácia em que são utilizados os extratos das plantas, sendo produtos industrializados. Já a Fitoterapia é uma ciência e engloba, além das preparações fitiofarmacológicas e dos medicamentos fitoterápicos, o uso popular das plantas em si.

Vantagens e riscos

Há uma grande quantidade de plantas medicinais, em todas as partes do mundo, utilizadas há milhares de anos para o tratamento de doenças através de mecanismos na maioria das vezes desconhecidos.
O estudo desses mecanismos e o isolamento do princípio ativo das plantas (substância responsável pelos efeitos terapêuticos) é uma das prioridades da farmacologia. Enquanto o princípio ativo não é isolado, as plantas medicinais são utilizadas de forma caseira, principalmente através de chás, ultra diluições ou sob a forma industrializada, através do extrato homogêneo da planta.
Ao contrário da crença popular, o uso de plantas medicinais não é isento de riscos. Além do princípio ativo terapêutico, a planta pode conter substâncias tóxicas, substâncias alergênicas, contaminação por agrotóxicos ou por metais pesados e pode interagir com outras medicações, causando danos à saúde. Além disso, todo princípio ativo terapêutico é benéfico enquanto utilizado em sua dose terapêutica, sendo tóxico quando utilizado em excesso.
A variação de concentração de um princípio ativo em chás pode ser muito grande, sendo praticamente impossível atingir uma faixa terapêutica segura em algumas plantas. Na forma industrializada, o risco de contaminações pode ser reduzido, através do controle de qualidade da matéria prima, e mesmo assim a variação na concentração do princípio ativo pode chegar a 100%. Nas ultradiluições, como na homeopatia, não riscos intoxicação por excesso de determinado princípio ativo.
À medida que os princípios ativos são descobertos, eles são isolados e refinados, de modo a eliminar agentes tóxicos e contaminações, e as doses terapêuticas e tóxicas são definidas com segurança.
Entretanto, o isolamento e o refino dos princípios ativos também não são isentos de riscos, uma vez que pretende substituir o conhecimento popular tradicional por resultados provindos de algumas pesquisas analítico-científicas muitas vezes antagônicas. Além disso, oa se extrair os princípios ativos são desprezados diversos elementos existentes na planta que naturalmente se mantêm em proporções adequadas.
O uso de fitoterápicos de laboratório também poderia introduzir novos efeitos colaterais ou adversos, devido a ausência de sinergismo ou antagonismo parcial entre os diversos princípios ativos existentes na planta.

Entre o conhecimento popular e o científico

A fitoterapia tem se tornado cada vez mais popular entre os povos de todo o mundo. Há inúmeros medicamentos no mercado que utilizam em seus rótulos o termo “produto natural”. Eles prometem, além de maior eficácia terapêutica, ausência de efeitos colaterais.
Grande parte desses medicamentos utiliza plantas da flora estrangeira ou brasileira como matéria-prima e possuem diversas finalidades: acalmar, cicatrizar, expectorar, engordar, emagrecer e muitos outros. É a utilização das plantas para o tratamento de doenças que constitui, hoje, o ramo da medicina conhecido como Fitoterapia.
O uso das plantas como remédio é provavelmente tão antigo quanto à própria humanidade. Nas Ilhas Oceânicas, por exemplo, há séculos a planta kava kava (Piper methysticum) é usada como calmante e durante muito tempo ela foi utilizada em cerimônias religiosas. Hojejá é comprovado que seu extrato tem efeito no combate à ansiedade.
Entretanto, ao se utilizar as plantas como medicamentos é preciso ter cautela. A crença popular de que as plantas não fazem mal, estimulada por fortes apelos de marketing, acaba distorcendo os usos e reais benefícios das plantas. ” O conceito pré-estabelecido, popular, de que o que vem da natureza não faz mal é incorreto”, lembra Elisaldo Carlini, pesquisador do Departamento de Psicofarmacologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Quem é que não sabe que a planta conhecida como “Comigo ninguém pode” é extremamente tóxica e pode matar? E afinal, estricnina, morfina e cocaína também são produtos naturais.
Todo medicamento, inclusive os fitoterápicos, deve ser usado segundo orientação médica. É claro que dificilmente chega-se a uma overdose de chá de boldo. Mas há ainda muitas plantas cujos efeitos não são bem conhecidos e seu uso indiscriminado pode prejudicar a saúde. Por outro lado, vários estudos científicos comprovam que a fitoterapia pode oferecer soluções eficazes e mais baratas para diversas doenças.
Para Carlini, os preconceitos em relação ao uso de fitoterápicos estão diminuindo. “O uso da fitoterapia como prescrição até há pouco tempo não era aceito pelos próprios cientistas. Ela era considerada uma medicina inferior, alternativa, principalmente por conta dos benefícios propagados por aproveitadores e charlatões. Era vista como ‘medicina popular`, desenvolvida à base de plantas que podiam ser encontradas na quitanda, na loja de artigos de umbanda, casas de chás, praças, etc”, diz.
Segundo o pesquisador, o conceito de uso dos fitoterápicos vem sendo modificado graças a produtos que os próprios médicos vêm utilizando e que têm base científica comprovada: “O crescimento do uso de fitoterápicos deve-se à competência científica de estudar, testar e recomendar o uso de determinadas plantas para usos específicos”, afirma.

É considerado fitoterápico toda preparação farmacêutica (extratos, tinturas, pomadas e cápsulas) que utiliza como matéria-prima parte de plantas, como folhas, caules, raízes, flores e sementes, com conhecido efeito farmacológico. O uso adequado dessas preparações traz uma série de benefícios para a saúde humana ajudando no combate a doenças infecciosas, disfunções metabólicas, doenças alérgicas e traumas diversos, entre outros. Associado às suas atividades terapêuticas está o seu baixo custo; a grande disponibilidade de matéria-prima (plantas), principalmente nos países tropicais; e a cultura relacionada ao seu uso.